Relógio da Apple lidera vendas de wearables no início do ano

Os dados mais recentes da IDC revelam uma maior exigência dos consumidores, que preferem dispositivos inteligentes do que os wearables simples.

A IDC disponibilizou os dados relativos à distribuição e vendas de dispositivos wearable no mercado mundial para o primeiro trimestre do ano. Segundo o relatório, houve um crescimento de 1,2% na distribuição de equipamentos neste período, atingindo os 25,1 milhões de unidades colocadas à venda.

Ainda assim, o crescimento do mercado foi inferior ao mesmo período do ano passado, que havia aumentado 18%. Essa estagnação deve-se à diminuição de interesse nos wearables simples, numa redução de 9,2% face ao ano passado. Por outro lado, os dispositivos inteligentes e mais caros da Apple e Fitbit registaram uma maior procura dos consumidores, com um crescimento de 28,4%.

idc wearables

Os especialistas afirmam que estão a surgir novos rivais atrás dos líderes do mercado, à procura de soluções wearables alternativas, identificando as tendências dos consumidores. Para além dos dispositivos dedicados à saúde e fitness, há interesse em soluções de coaching, modificação de áudio e tradutores, assim como outros aparelhos relacionados à segurança pessoal e relógios conectados para crianças.

Segundo a IDC, os relógios e as pulseiras contabilizaram 95% da distribuição entre janeiro e março de 2018, mas o vestuário com sensores cresceu 58,6% em relação ao mesmo período do ano passado. O calçado com pedómetros e vestuário com funcionalidades de fitness continuam a ser procurados.

idc wearables

Na liderança do mercado surge o Apple Watch, com um aumento na distribuição de 13,5%. A quota da fabricante aumentou de 14,3% em período homólogo, para 16,1%. Segue-se a Xiaomi em segundo, que embora tenha uma maior quota de unidades distribuídas, com 14,8%, é a que pratica a menor média de preços do TOP 5. A sua estratégia foi inundar o mercado chinês com os seus dispositivos, mas longe de obter o lucro dos seus concorrentes. A Fitbit surge em terceiro com 8,7% de quota, seguindo-se a Huawei com 5,2% e por fim, nos primeiros cinco lugares a Garmin com 5,0%.

Ler Artigo Original

Share

Também pode gostar de...

%d bloggers like this: