Painéis Solares: 30 kW para consumo próprio sem taxas

Há grandes novidades no que toca à carga fiscal direcionada à captação de energia solar para autoconsumo. Nas negociações sobre a diretiva de energia renovável, os estados membros da UE chegaram a um consenso em relação à proibição de impostos discriminatórios para a energia auto-produzida,

A regulamentação indiscriminada abrange sistemas de até 30 kW de capacidade. Além disso, a dupla tributação através dos encargos adicionais sobre o armazenamento de energia deve ser evitada.

Nos últimos anos, vários estados europeus introduziram taxas sobre o autoconsumo. Isto está prestes a mudar, uma vez que as negociações entre o Conselho da UE, o Parlamento e a Comissão estão a renegociar alterações à atual diretiva da UE sobre energia renovável (Diretiva 2009/28 / CE).

Painéis Solares – Novas regras para autoconsumo até 30 kW

Na quarta-feira passada, os negociadores concordaram que devem ser suspensas as taxas discriminatórias e as estruturas regulatórias impeditivas ao autoconsumo. De acordo com a revisão da diretiva, esta regra aplicar-se-ia especialmente a sistemas de energias renováveis ​​até 30 kW de capacidade.

Produza a sua própria energia elétrica mas tenha estes cuidados

A directiva visa criar um quadro regulamentar claro e estável para o autoconsumo das famílias, de acordo com o anúncio feito pelo Conselho da UE. Só se o autoconsumo “crescer excessivamente”, os estados membros podem introduzir taxas.

Antes disso, as partes envolvidas na discussão concordaram em aumentar o desenvolvimento de energia renovável na UE para alcançar 32% até 2030. Lobistas representando o interesse da energia renovável disseram que visavam um objetivo maior.

Estávamos a procurar uma participação de energia renovável de 35% até 2030, mas mesmo para alcançar essa meta mais baixa, é necessário aumentar o uso de energia fotovoltaica no setor de energia, calor e mobilidade.

Referiu Carsten Körnig, chefe da BSW-Solar, Associação da indústria solar alemã.

Fim da dupla tributação à energia para consumo doméstico

Está iminente uma melhoria na utilização de energia armazenada em comparação com a atual diretiva de energia renovável ativa, em vigor desde 2009. A nova diretiva abolirá a dupla tributação através de encargos adicionais na rede criados para o armazenamento energético utilizado pelas famílias.

Depois de uma enorme queda nos preços, a energia solar fotovoltaica e o armazenamento estão prontos para assumir um papel consideravelmente maior no fornecimento de energia segura e barata.

Comentou Körnig.

As novas regras terão de ser formalmente confirmadas pelo Conselho da UE numa próxima sessão. Do mesmo modo, o Parlamento da UE também tem de confirmar a directiva numa sessão, de acordo com a BSW-Solar. A partir de então, os estados membros têm 18 meses para adotar as disposições da diretiva na legislação nacional.

Via

Leia também:

Preços dos painéis solares devem baixar cerca de 35% em 2018

Vítor M.

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.
Ler Artigo Original

Share

Também pode gostar de...

%d bloggers like this: