Munique paga ao km para ajudar a comprar táxis elétricos

Há cidades que fazem um grande esforço para melhorar a qualidade de vida dos seus cidadãos, começando pela qualidade do ar que respiram. Limitando as áreas de circulação e as horas de poluição, estas medidas parecem ser poucas para a cidade alemã de Munique.

Esta cidade adotou uma política de apoio à aquisição a táxis elétricos, mas há um pormenor muito interessante como medida de apoio e incentivo.

Financiamento e-táxi da cidade de Munique

A cidade alemã de Munique, na perseguição à ambição de reduzir as emissões poluentes, lançou um programa de ajuda à compra de táxis elétricos. Contudo, em vez de dar dinheiro diretamente para a compra do veículo, a estratégia passa por pagar aos profissionais do volante mas ao quilómetro.

Este pioneiro projeto destina-se a veículos 100% elétricos ou aos que têm células de combustível e oferece 20 cêntimos (de euro) por quilómetro percorrido. O que dará algo como incentivo financeiro de 20 euros a cada 100 quilómetros.

A título de exemplo, poderá ser feito um cálculo onde num dia de trabalho com 200 km, o taxista irá auferir de incentivo do município cerca de 1200 euros mês. Claro que o teto para este incentivo está fixado nos 40% do valor do veículo e não há para todos, isto é, a câmara da cidade tem um orçamento limitado a 2 milhões de euros. Quer isto dizer que esgotados os 2 milhões, o incentivo também acaba.

Munique táxis elétricos

Entre os requisitos constam a situação legal e correta da empresa como empresa de transporte na cidade, têm de manter pelo menos 36 meses o veículo subsidiado na sua propriedade e não podem recorrer a outras ajudas federais ou estatais.

Esta medida vem juntar-se a outras que foram sendo incluídas desde o processo de aquisição até ao processo fiscal que abrange estas viaturas. É uma forma que poderá ajudar os taxistas a dar o salto para os veículos elétricos de forma mais económica e este incentivo ajudará certamente a pagar os gastos mensais, além de haver uma poupança clara no combustível e na pegada ambiental.

Esta é uma medida muito inteligente, pois desta forma não há aproveitamento dos subsídios para a aquisição de veículos que não estejam ao serviço ou não sejam colocados na linha da frente das empresas de transporte. Só ganham se trabalharem.

Via

Mas poderão se muitos taxistas ajudados?

Com ajuda da matemática poderemos fazer um exercício simples: 36 meses x 1200€ = 43.200€ de ajuda teórica. Ora se existem 2 milhões disponíveis a dividir pelos supostos 43.200€ dará um incentivo para cerca de 46 táxis. Se o valor vai até um máximo de 40& do valor do carro, então se o valor estiver tabelado nos 60.000€, os tais 40% limitam o incentivo a cerca de 24.000€. Neste valor já serão beneficiados mais carros, passam então para cerca de 83 táxis.

Numa cidade que recebe num só evento, no Oktoberfest (festa da cerveja) cerca de 6 milhões de turistas… estes 2 milhões embora sejam sempre uma ajuda, serão uma gota, face aos 3500 táxis existentes.

Ler Artigo Original

Share

Também pode gostar de...

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: