Investigadores de Coimbra criam robot para as fábricas do futuro

O projeto é conduzido ao abrigo do programa Horizonte 2020 e conta com a participação de vários centros de investigação, universidades e empresas europeias.

Uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra juntou-se a um consórcio composto por 11 parceiros cujo objetivo é dar arranque à próxima geração da indústria robotizada.

Com um financiamento total de mais de quatro milhões de euros, o Departamento de Engenharia Mecânica da Faculdade de Ciências e Tecnologia da instituição conimbricense está envolvida no desenvolvimento do ColRobot (Collaborative Robotics for Assembly and Kitting in Smart Manufacturing), um braço robótico que tem como propósito reconfigurar os processos de manufatura e tornando mais fácil, eficiente e eficaz o trabalho conduzido pelos seres humanos.

O investigador que está a liderar a equipa portuguesa explica, em comunicado, que este é um robot colaborativo que irá trabalhar ao lado dos funcionários fabris. Pedro Neto afirma que se pretende que os humanos possam interagir com os ColRobot da mesma forma que o fazem com os colegas humanos, ou seja, “de uma forma intuitiva, por exemplo usando gestos”.

A equipa da Universidade de Coimbra está encarregue de fazer com que estes robots se possam relacionar com os humanos da forma mais fluída e natural possível.

O responsável acrescenta que máquinas deste género são essenciais para o aumento da competitividade da indústria europeia, além de que permitem reduzir custos de produção, liberta os humanos de tarefas mecânicas e monótonas e podem ser operados por pessoas sem conhecimentos técnicos.

Informações oficiais indicam que o ColRobot vai começar a ser testado a partir de fevereiro. A Thales Alenia Space, do setor aerospacial, e a Renault, fabricante de automóveis, vão experimentar em primeira mão o resultado desta colaboração entre mentes científicas e tecnológicas europeias.

Share

You may also like...

Deixar uma resposta

%d bloggers like this: