Asus Zenfone 6 – Quando se solta o “olho”, vê-se o mundo de outra forma

Mais que ter um processador topo de gama e as melhores configurações de memória, a Asus quis dar um toque diferenciador, e parece que conseguiu.

Por vezes as palavras e promessas não são suficientes para explicar uma nova tecnologia. E o caso do “ciclópico” Zenfone 6 o conceito parecia no mínimo estranho. E talvez por causa do design disruptivo, a empresa deixou para o fim a revelação do seu aspeto, concentrando-se a listar os features da “praxe”, quando apresentou o smartphone durante o evento em Valência.

Numa época em que as fabricantes se digladiam por introduzir não duas ou três, mas configurações de quatro e cinco lentes no conjunto principal e mais uma ou duas na área frontal, a Asus demonstra que “tudo” pode ser alcançado com apenas duas câmaras. Para a fabricante do Taiwan basta uma lente topo de gama, nada mais que a Sony IMX586 de 48 MP e uma secundária grande ocular de 13 MP. A conjugação destas duas lentes, enriquecido pela inteligência artificial (mais inteligente) introduzida no modelo do ano passado e o pequeno módulo rotativo, o tal Flip Camera, os utilizadores conseguem tirar fotos com o maior detalhe possível, coloridas, assim como obter uma boa qualidade em ambientes interiores e de baixa iluminação. Mas o aspeto que mais nos divertiu foram as panorâmicas automáticas. Já lá vamos.

A vantagem do sistema de câmara rotativa é apresentar um ecrã totalmente livre, algo que ao longo dos últimos anos tem vindo a ser alvo de diferentes propostas: bezels mais finos, sistemas de notch, punch-hole – todos eles, de uma forma ou de outra necessitam de um espaço para albergar a câmara. Os sistemas retráteis trabalharam nesse sentido, mas a solução da Asus é mais arrojada. A câmara traseira está assente num módulo capaz de inclinar-se 90 graus, ou seja, da superfície da traseira, o olho sobe e transforma-se numa lente selfie.

Como ficou marcado no evento, a Asus aproveitou para realçar que introduz pela primeira vez no mercado uma câmara frontal capaz de gravar vídeo a 4K a 60 FPS. Na prática, a qualidade de imagem, sejam fotografias ou vídeo são iguais, sejam tiradas com a frente ou traseira do smartphone, porque as câmaras são literalmente as mesmas.

Tecnicamente, a câmara é automática, mas pode ser regulada manualmente, seja através de uma regulação com os próprios dedos – pode mexer nela à vontade. Ou através de um ícone no software da câmara em que pode regular a sua posição. É como brincar com um pequeno periscópio de um submarino e ver a imagem a mexer. Imagine que necessita tirar uma fotografia num espaço público e fica intimidado pela presença de pessoas. Pode estar a olhar para baixo e regular a câmara para tirar fotografias logo à sua frente. Sim, pode fotografar aquela miúda gira sem correr o risco de esta ficar amedrontada. Ainda assim não o deve fazer sem autorização, mas percebeu a ideia…

Tecnicamente, a câmara utiliza um sistema de giroscópio, até porque se deixar cair o telemóvel com a câmara aberta, esta recolhe automaticamente de emergência, antes do contacto com a superfície. Experimentámos e funcionou, mas convém não deixar cair. A Asus explicou que o sistema utiliza 13 engrenagens e “torque” duplo para movimentar a câmara. A máquina beneficia ainda de um sistema eletrónico de estabilização, ajudando a capturar vídeos sem o efeito de tremer.

De salientar que para além da aplicação da câmara de origem no smartphone, poderá controlar o “olho” em qualquer app das redes sociais, como o Instagram ou Snapchat. Conjugue-se os filtros da moda, e imagine-se o que é possível fazer.

Continuar a ler

Na manhã seguinte à apresentação, a comitiva de jornalistas foi convidada a um tour por Valência, para uma visita guiada a algumas calhas conhecidas da cidade, com paragem em alguns monumentos. O objetivo claro, era libertar o “olho” e dar azo à utilização da máquina fotográfica.

tek zenfone 6 - fotografias

O grande destaque, como disse, vai para as panorâmicas automáticas. Pelo menos são muito divertidas. Ao escolher esta opção, a câmara começa a rodar sozinha e vai fazendo os cálculos da cena, para uma imagem até 90 graus. Se quiser, pode aplicar-lhe a opção 360 graus para criar um efeito de imagem em tubo. Este sistema puxa pela criatividade, primeiro porque pode fazê-lo na vertical ou horizontal. Imagine capturar uma panorâmica vertical para fotografar uma torre bem alta. Depois porque tem total controlo sobre a exposição da cena, ou seja, pode interromper a sequência a meio e obter imagens mais pequenas.

As fotografias capturadas durante a manhã solarenga de Valência não deixaram ficar mal o melhor sensor fotográfico do mercado, como seria de esperar. As cores fidedignas dos objetos, os tons agradáveis do céu, sem margem para destorções. Mesmo o zoom, não sendo poderoso como um P30, não destrói os detalhes vistos mais ao longe, mantendo a cena bem enquadrada.

O teste que queríamos fazer era fotografar em locais menos iluminados e como pode comprovar, as fotografias nos locais mais escuros, como os interiores dos monumentos, estão com bastante detalhe. Para tal a câmara capta diversas fotografias em RAW sobrepondo-as, aparando os elementos tremidos, construindo uma cena final bastante fiel à cena, e com grande nitidez. A isto a Asus chamou-lhe o modo Ultra Night.

Zenfone 6
Imagem capturada num interior menos iluminado.

A grande angular também não deixou mal visto o equipamento, criando fotografias com mais elementos em cena, mas com aquele efeito de “bolha”, semelhante às action cams. É ideal para tirar selfies em grupo, por exemplo.

Há ainda uma funcionalidade de seguir o sujeito, o que ajuda por exemplo, a filmar crianças ou animais, mantendo-os sempre enquadrados. As Time Lapses também beneficiam dos movimentos da câmara, já que pode mudar o enquadramento sem perder a fluidez do vídeo. Claro que filmar em 4K a 60 fps é um pequeno luxo que apenas algumas câmaras topo de gama conseguem oferecer, sobretudo com estabilizador eletrónico, o que permite registar imagens sem tremer, mesmo sem utilizar um tripé. Ideal para filmar viagens, vlogs e outros pequenos vídeos com uma excelente qualidade. Mais uma vez, o pequeno teste que fizemos à smartphone não desiludiu.

Estas são apenas algumas das funcionalidades que mais nos chamaram a atenção. Fica-se com a sensação de que fotografar com uma câmara deste calibre torna qualquer “noob” num fotógrafo decente, tal a qualidade das fotografias.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Tek. Diariamente. No seu email. Subscrever Já subscrevi

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.

Ler Artigo Original
Fonte: SAPO Tek

Share

Também pode gostar de...

%d bloggers like this: