Apple quer tirar engenheiros à Qualcomm?

A guerra está cada vez mais declarada entre a Apple e a Qualcomm. Desta vez, a gigante de Cupertino está a contratar de forma “agressiva” engenheiros da Qualcomm, que trabalham na sede da empresa, em San Diego.

A Apple procura designers para desenvolver componentes e processadores sem fios no terreno da Qualcomm. A estratégia enfraqueceria ainda mais as hipóteses da Qualcomm em conseguir fornecer chips para os futuros iPhones.

Apple quer atrair a si os engenheiros da Qualcomm

Este mês, a Apple publicou 10 anúncios de emprego no seu site para cargos relacionados a design de chips, marcando a primeira vez que a gigante de tecnologia de Cupertino, na Califórnia, recrutou publicamente para estes papéis no sul da Califórnia.

A Apple está a anunciar que pretende engenheiros para trabalharem em vários tipos de componentes eletrónicos, incluindo o desenvolvimento ao nível de processadores de inteligência artificial e chips wireless para a tecnologia Neural Engine.

Ao longo dos anos, a empresa de Cupertino tem chamado a si o desenvolvimento dos componentes. Estes são desenhados pelos seus engenheiros e colocado em produção nos parceiros escolhidos pela empresa, como, por exemplo, a Intel, que tem recebido grande parte dos chips anteriormente fabricados pela Qualcomm. A investigação e desenvolvimento está ainda situada na sede da Apple no norte da Califórnia.

Independência efetiva de terceiros na conceção

À medida que o tempo vai passando, a Apple tem criado cada vez mais a sua própria tecnologia, desenvolvendo as suas patentes que permitem menos dependência de terceiros, quer para criar, quer para usar. Um exemplo disso é o caso que se arrasta em tribunal com a Qualcomm, onde a Apple acusa a empresa fabricante de chips de se aproveitar da sua vantagem em ter proeminência em determinado componente eletrónico.

Sem estas amarras a patentes e tecnologias de terceiros, a Apple ganha ascendente face aos seus concorrentes. Não depende de ninguém no campo do sistema operativo ou do software e é cada vez menos dependente no capítulo do hardware. Resumindo, a Apple tem nas mãos o controlo do calendário de lançamentos, tem nas mãos os custos de desenvolvimento, da produção e tem nas mãos a forma de moldar também o mercado à sua própria vontade.

Tecnologia 5G é um marco importante para a Apple

Até agora, a empresa lançou chips wireless para os AirPods e Apple Watch, mas não produziu os seus próprios sistemas sem fios completos para o iPhone, o seu dispositivo mais vendido. A Apple está à procura de engenheiros com experiência em protocolos wireless convencionais, como LTE e Bluetooth, mas também quer fomentar o desenvolvimento de novas tecnologias, como o 5G.

A decisão de contratar especialistas em tecnologia wireless “no viveiro da Qualcomm” só intensifica esta guerra que se trava em tribunal (e não só) entre as duas gigantes americanas. Por um lado a Qualcomm quer rentabilizar os seus produtos e obrigar a Apple a pagar e a usar o que é Qualcomm, por outro lado, é a Apple que quer ver-se livre da Qualcomm e maximizar os seus lucros. Isto promete!

Leia também:

Qualcomm diz ter provas que a Apple roubou o seu código-fonte e entregou-o à Intel

Vítor M.

Responsável pelo Pplware, fundou o projeto em 2005 depois de ter criado em 1993 um rascunho em papel de jornal, o que mais tarde se tornou num portal de tecnologia mundial. Da área de gestão, foi na informática que sempre fez carreira.
Ler Artigo Original

Share

Também pode gostar de...

%d bloggers like this: