Análise: Samsung Galaxy A7 (2018) e a sua câmara tripla

Apesar do mercado estar a mudar, a Samsung continua a ser uma das marcas de smartphones mais populares, nas várias gamas onde atua. A linha Galaxy A é a sua aposta na gama média e foi no Galaxy A deste ano que surpreendeu com algumas estreias improváveis, o Galaxy A7 traz 3 câmaras na traseira e o A9 traz 4!

Mas como um smartphone não se faz só de câmaras, hoje trazemos a análise o Galaxy A7 e contamos-lhe tudo sobre este novo modelo.

Os modelos da Samsung desta linha Galaxy A não são de todo os mais populares da marca, mas são modelos que satisfazem as exigências de muitos consumidores que tendem a procurar equipamentos com preços mais equilibrados sem que, com isso, tenham que abdicar daquilo que é a qualidade fotográfica, o desempenho ou a autonomia.

O Samsung Galaxy A7 (2018) surpreendeu o mundo pelas suas três câmaras traseiras, principalmente, porque a Samsung sempre foi uma marca ponderada nos seus lançamentos e na qualidade das suas câmaras fotográficas, sendo de estranhar que seja a linha A a receber o seu primeiro smartphone com módulo triplo de câmaras.

Existem outras características que, evidentemente, fazem deste um smartphone apetecível ao consumidor e como tal hoje damos-lhe a conhecer tudo sobre ele.

Especificações Gerais

O Samsung Galaxy A7 apresenta um ecrã infinito Super AMOLED de 6″. O design é ergonómico e incorpora o leitor de impressões digitais na lateral, sobre o botão power, para facilitar não só o manuseamento do equipamento, como acabar com os botões frontais, ou com qualquer sensor na traseira. Tanto a frente como a traseira são em vidro, com acabamento 2.5D.

O processador que o equipa é o Exynos 7885 desenvolvido pela própria Samsung, que funciona a 2.2 GHz. Em Portugal pode ser encontrado na versão de 4 GB de RAM e 64 GB de armazenamento interno, com possibilidade de expansão através de cartão microSD até 512 GB, no entanto, existem também outras duas versões de 6 ou 4 GB de RAM e 128 GB.

A sua bateria é 3300 mAh e vem com Android 8.0, com a interface de utilizador Samsung Experience. Na traseira a câmara tripla tem sensores de 8 + 24 + 5 MP, e na frente a câmara é de 24 MP. Mais à frente serão especificadas as características e funcionalidades associadas a cada uma delas.

Não incorporando a mesma quantidade infindável de tecnologia que um topo de gama incorpora, o A7 tem tudo aquilo que é útil ao utilizador. Tem assim à disposição Wi-Fi 802.11 a/b/g/n/ac (2.4/5GHz), VHT80, Bluetooth 5.0, ANT+, USB Type-B, NFC e GPS. Conta ainda com acelerómetro, sensor de impressões digitais, giroscópio, proximidade, e ainda incorpora a tecnologia associada ao reconhecimento facial.

Construção e Design

A linha Galaxy A sofreu uma grande evolução relativamente aos modelos do ano passado. O ecrã de 16:9 cresceu e acompanhou a tendência dos ecrãs infinitos, neste caso específico do Galaxy A7, para 18,5:9. O ecrã tem 6 polegadas e uma resolução FullHD+ de 1080 x 2220 píxeis. Em termos de aproveitamento da estrutura para integração do ecrã este não é dos melhores, mas de uma forma geral há uma harmonia aceitável.

A construção é em plástico, com acabamento metalizado, e a frente e traseira são em vidro com acabamento 2.5D.

Na frente, não existe nenhum botão e apenas, acima do ecrã existem os elementos comuns, câmara frontal, que é utilizada para reconhecimento facial, sensores de luminosidade e proximidade, altifalante e ainda flash LED. Os cantos do ecrã são arredondados.

As laterais boleadas incluem do lado esquerdo o slot para os cartões, neste caso é um slot para 2 cartões nanoSIM mais um para cartão microSD independente; em baixo vem o jack de áudio de 3,5mm, a porta microUSB, algo que não me agrada dado que estamos na época da transmissão rápida de informação e do carregamento rápido, pelo que já deveria trazer USB Tipo-C, tem ainda o microphone e o altifalante.

Este altifalante reproduz som com boa qualidade, nada que se destaque entre a concorrência. Para a gama é equilibrado, sem agudos muito estridentes e com graves pouco pronunciados.

Ainda nas laterais, do lado direito vem uma outra novidade nos smartphones da marca, um sensor de impressões digitais, colocado sobre o botão de power, que funciona de forma muito eficaz e a sua localização também me agrada, visto que é acessível com qualquer uma das mãos. Por cima deste botão existem ainda os botões e volume. Na zona superior, a marca apenas incluiu um microfone.

A traseira tem então o módulo das 3 câmaras seguido do flash LED e da inscrição da marca.

Ecrã

Este ecrã de 6″ tem a assinatura da Samsung e como tal a qualidade nem se questiona. Tem já tecnologia Super AMOLED e uma resolução de 1080 x 2220 píxeis, proporcionando uma excelente reprodução e definição de conteúdos. Em termos de luminosidade, há uma boa adaptação aos diferentes ambientes.

Também este A7 tira partido da tecnologia Super AMOLED para dar lugar ao Always On Display. O ecrã sempre ligado, com informações úteis ao utilizador, como horas, estado do tempo, estado da bateria e algumas notificações, quando o smartphone está bloqueado.

Este ecrã nalguns modelos da Samsung é crucial para o rápido consumo da bateria, mas neste caso os consumos não se alteraram de forma substancial quando o ecrã é desligado.

Há, no entanto, um pequeno “bug” neste ecrã que estará relacionado com a interface da Samsung desenhada para os topo de gama com 3D touch no ecrã, que é a indicação do botão Home. Nos Note9 ou S9 essa zona funciona como um botão físico e daí a sua indicação, mas neste caso é completamente inútil. Na verdade, não é nada problemático, é apenas uma indicação.

Interface e desempenho

O Samsung Galaxy A7 vem equipado com Android na versão 8.0, alterado pela interface de utilizador Samsung Experience 9.0. Talvez a indicação dada relativamente ao Always-on Display seja assim o único ponto em que a Samsung tenha falhado. Porque, de resto, o sistema está bem otimizado.

No Galaxy A7 o utilizador tem acesso a todo o ecossistema Samsung, incluindo mesmo a Bixby, a assistente virtual que permite executar tarefas com o smartphone através de comandos de voz ou ter acesso a informação rápida. Esta assistente, infelizmente ainda está limitada ao nível de idiomas.

De um smartphone que custa cerca de 300 €, confesso que esperava um desempenho um pouco melhor. Tudo é executado, no entanto, existem processos onde é notório algum desfasamento. Abrir e fechar apps não é propriamente imediato, mas é aceitável, ainda assim.

A qualidade das chamadas é boa, com som límpido sem ruídos, a captação de rede móvel e Wi-Fi é também ela boa, com um bom alcance garantido. Em navegação por GPS, através de aplicações como Google Maps e Waze, a avaliação também é positiva, tanto em viagens de carro como a pé.

Os resultados de benchmarck posicionam o A7 na gama média onde se insere:

  • AnTuTu (v.7.1.0): 121261
  • GeekBench 4:
    • Single Core: 1519
    • Multi Core: 4403

Autonomia

A bateria do Galaxy A7 tem uma capacidade de 3300 mAh e não tem tecnologia de carregamento rápido associado, carregando, na totalidade em cerca de 2 horas, o tempo normal nestes casos. Em meia hora carrega cerca de 30%.

Associados à autonomia estão os modos de poupança de bateria que tendem a ajudar a economizar. Por exemplo, com o modo de poupança desativado, 42% de bateria deverão ser capazes de aguentar 10h57, ativando o modo de poupança médio, a autonomia aumenta para 18h, neste caso, há uma diminuição do brilho do ecrã em 10%, o Always On Display é desativado, bem como as aplicações a correr em segundo plano. No máximo, o smartphone passa para um modo negro e poderá durar até 1 dia e meio.

De uma forma geral, esta bateria consegue uma autonomia muito satisfatória, tendo atingido, com uma utilização considerada normal a 1 dia e meio de utilização e frequentemente cheguei ao final do dia com cerca de 50% de bateria, mas durante a noite perde facilmente 20 a 30 % de carga. Em dias de utilização mais intensiva, mesmo assim, um ciclo de bateria é suficiente para uma dia de utilização.

Câmaras

O Samsung Galaxy A7 destaca-se essencialmente pelas suas câmaras, três na traseira.

Cada uma das câmaras tem a sua particularidade: tem uma ultra grande angular de 120° e 8MP, para captar uma área maior, tem uma outra de 24MP de 77° com abertura f/1.7 para uma maior captação de luz e uma terceira de 5 MP para criar efeito de profundidade. Neste campo, também a câmara frontal foi tida em grande consideração, com um sensor de 24 MP e uma abertura f/2.0.

No que respeita ao vídeo, o A7 grava a 1080p a 30fps com a câmara traseira e tem estabilizador eletrónico de imagem, cujo resultado é bom. Ao nível de som captado, em ambientes com muito ruído ainda se consegue uma boa qualidade, mas os agudos acabam por ficar muito pronunciados.

Ambas as câmaras são suportadas por um flash LED e ainda tiram partido do reconhecimento de cenas inteligente que ajusta vários parâmetros de forma instantânea para oferecer um melhor resultado.

Com reconhecimento de cena

Sem reconhecimento de cena
Com reconhecimento de cena

O modo Live Focus que já testámos nos topos de gama, que torna o plano de fundo desfocado, funciona de forma correta, com contornos suaves entre o elemento focado e os elementos desfocados.

Também este modelo tira partido daquilo que é a realidade aumentada, com os Emojis, autocolantes e máscaras.

As fotografias são sem dúvida um dos pontos fortes deste smartphone, com uma qualidade acima daquilo que se encontra nesta gama de preços, ainda que as fotografias em ambientes mais escuros não surpreendam. Poderá ver mais alguns exemplos de fotografias captadas com esta câmara.

24 MP
8 MP

24 MP
8 MP

24 MP
8 MP

Veredicto

Apesar desta linha da Samsung estar um pouco sobrevalorizada em termos de desempenho, a verdade é que superam a concorrência no campo da fotografia e do vídeo. A integração das 3 câmaras foi uma jogada inteligente por parte da Samsung para este modelo, além de elevar a qualidade fotográfica, ainda lhe traz mais possibilidades de captação.

O facto de não trazer certificado de resistência a água e poeiras, já que outros modelos da linha A o trazem e também de não ter carregamento rápido, são dois aspetos menos positivos deste smartphone. Por outro lado tem uma excelente autonomia, qualidade de som e de ecrã.

O Samsung Galaxy A7 encontra-se disponível por cerca de 300 €.

O Pplware agradece à SmartTalk a cedência do Samsung Galaxy A7 para análise.

Samsung Galaxy A7

Samsung Galaxy A7 (2018)

Samsung Galaxy A7 (2018) 8.4 Dúvidas na classificação?

CONSTRUÇÃO & DESIGN

8/10

Ecrã

10/10

Desempenho

6/10

Câmara

9/10

Autonomia

9/10

Prós

  • Qualidade fotográfica
  • Autonomia
  • Ecrã com qualidade superior

Contras

  • Desempenho
  • Fotos no escuro

Maria Inês Coelho

Gestora de conteúdo e de redes sociais do Pplware. Mestre em Economia, foi o fascínio pelo universo da tecnologia e da comunicação que falou mais alto.
Ler Artigo Original

Share

Também pode gostar de...

%d bloggers like this: